Ateus processam Crivella por cantora gospel em show do Réveillon
16/12/2019 00:31 em NA MÍDIA

Ação civil pública diz que a Prefeitura está ferindo a laicidade do Estado

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) moveu uma ação contra a Prefeitura do Rio de Janeiro por conta da inclusão de música gospel na programação do Réveillon de Copacabana.

O grupo moveu uma ação pública para impedir que a cantora Anayle Sullivan abra os shows no palco principal na Praia de Copacabana no dia 31 de dezembro.

A justificativa é que ao contratar uma cantora evangélica, a Prefeitura está cometendo um “ato lesivo ao patrimônio artístico, estético, histórico ou turístico”.

A revista Época revela que a Atea pede também que o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) devolva aos cofres públicos os valores que serão pagos para a cantora e uma multa de R$ 50 mil caso a Prefeitura mantenha a apresentação.

Na visão do grupo ateu, ao colocar um artista gospel no festa de final de ano, a prefeitura está ferindo a laicidade do Estado, desconsiderando assim, gênero musical como “não arte”.

Creditos Gospel Prime 

COMENTÁRIOS