Pastor da Assembleia de Deus dá bênção à casais gays e causa polêmica
02/09/2018 19:41 em NA MÍDIA

Um pastor evangélico da cidade de Cataguases (MG) protagonizou um fato, no mínimo, curioso. Na última quinta-feira (23), foi realizada mais uma edição do Casamento Coletivo de Cataguases, onde 86 casais celebraram sua união civil, um movimento preparado pela Defensoria Pública. Foram chamados, então, alguns líderes religiosos: Roosevelt Pires, que é espírita, Pr. José Mauro da Silva Filho, que é pastor evangélico, e Sérgio Narciso, padre da Igreja Católica. Eles revezaram entre si abençoando os casais numa cerimônia ecumênica. Também esteve presente o defensor público geral de Minas, Gério Patrocínio Soares.

Mas uma polêmica se instalou posteriormente entre as igrejas da cidade, quando se difundiu a informação de que no meio dos 86 casais haviam 2 que eram homoafetivos. A discussão gira em torno do pastor evangélico, e até mesmo o padre católico, terem abençoado a união desses casais que, segundo a doutrina seguida por esses religiosos em questão, não estão de acordo com os preceitos da Bíblia Sagrada.

 

pastor José Mauro, que é ligado à Assembleia de Deus Madureira, disse ao site Mídia Mineira após o evento que estava honrado em participar da celebração: “Sem sombra de dúvida, ficará marcada não somente na história da nossa cidade, mas principalmente na vida de cada um que foi participante, coparticipante ou colaborador indireto ou diretamente desta festa maravilhosa, que este possa ser o segundo de muitos eventos que vão ser realizados para louvor e glória do Senhor Jesus”, disse.

Mas após a polêmica se instalar entre os evangélicos, o pastor presidente da Assembleia de Deus, Nelquíades Fernandes, que está tentado se eleger deputado federal, publicou em sua conta no Facebook uma nota de esclarecimento, afirmando que os casais que participaram do ato foram escolhidos pelos órgãos públicos envolvidos na empreitada. E reforçou também que a posição da igreja não mudou sobre o casamento gay. A publicação foi excluída depois, mas pode ser lida na íntegra abaixo:

 

“Nota de esclarecimento – Em virtude de um casamento comunitário na cidade de Cataguases-MG, um obreiro da Igreja foi convidado a participar do evento, assim como várias outras autoridades eclesiásticas. A seleção dos postulantes ao casamento é feita pelo órgão público, não havendo qualquer intervenção de terceiros. A presença do obreiro teve o objetivo de abençoar os casais que se uniram conforme os preceitos e ordenanças das Sagradas Escrituras: “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne.” Gn 2.24. Está é e sempre continuará sendo a posição da Igreja, “casamento de um homem com uma mulher”. A Bíblia é a nossa infalível e inerrante regra de fé! Deus abençoe a todas e que as Bênçãos do Senhor estejam sobre todos aqueles que andam em obediência a sua Palavra.”, publicou o pastor.

Fonte Portal Diante do trono

COMENTÁRIOS