Igrejas evangélicas se preparam para nova greve dos caminhoneiros
04/06/2018 - 8h44 em NA MÍDIA

Ainda não se sabe se a greve irá de fato acontecer, mas as igrejas já se preparam

As igrejas evangélicas brasileiras, em especial, as que ficam localizadas nos grandes centros, sofreram as consequências da greve dos caminhoneiros que durou dez dias, e ocorreu no fim de maio.

Pastores como Silas Malafaia (ADVEC) e o Bispo Samuel Ferreira (ADBRÁs), foram apenas alguns dos que foram forçados a cancelar cultos e eventos, pensando na segurança dos fiéis e claro, no fato de que, as pessoas simplesmente não chegariam, visto que, a greve promoveu uma escassez de combustível, e as pessoas ficaram praticamente impedidas de sair de casa.

+ Bispo Samuel Ferreira segue exemplo de Malafaia em rara decisão

Com as notícias de que uma nova greve dos caminhoneiros pode acontecer, pastores e líderes religiosos já estão preparando seu rebanho para uma possível nova crise. Estocar alimentos e principalmente, encher os tanques de combustíveis dos veículos, tem sido uma das orientações desses líderes religiosos.

Ainda não se sabe se a nova greve dos caminhoneiros irá de fato acontecer, no entanto, dessa vez os pastores não querem amargar o mesmo prejuízo do mês passado.

Como a greve dos caminhoneiros afetou as igrejas evangélicas

A greve dos caminhoneiros alcançou uma proporção que acabou afetando diversas camadas da sociedade.

 

Os serviços essenciais foram afetados, desencadeando uma série de prejuízos que afetou a maioria das igrejas evangélicas que ficam localizadas nos grandes centros.

Com a redução da frota de transporte público nas ruas, o grupo de fiéis que dependem dele para chegar até as igrejas, acabou ficando impossibilitado de chegar até elas, e participarem de cultos ou reuniões.

Do mesmo modo, quem vai a igreja com seu próprio veículo, viu a necessidade de economizar combustível ao máximo, já que, não se sabe até quando essa situação irá se estender.

Até quem vai a pé para essas igrejas, acabou sofrendo com o aumento da violência nas ruas, que acaba fomentando uma sensação natural de insegurança ainda maior.

Pensando nos fiéis, muitos lideres religiosos decidiram abrir mão de cultos e reuniões que aconteceriam nos últimos dias, até eventos que estavam agendados acabaram sendo cancelados, visando a segurança dos fiéis.

 

pastor Silas Malafaia cancelou vários eventos que aconteceriam em sua igreja ao longo da última semana. Foram cancelados eventos como a “Vigília da resposta” já tradicional na Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), até o encontro de jovens também foi afetado, entre outras datas.

 


 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!